domingo, julho 05, 2009

Vira-lata

“O que obviamente não presta sempre me interessou muito. Gosto de um modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão." (C.L.)


***


Não há nada mais lindo e atrapalhado que o meu amor. Ele é gafanhoto em noites de temperatura amena que, em fotos antigas registra minha cabeça repousando sobre almofadas embaralhadas e o pé torto apoiado em janela de digitais, revela todo o calor que existe na entrega. Ele é lagartixa em pijama de frio, dançando engraçado enquanto subo pelas paredes num sorriso arrancado, gritando seu nome para me divertir de afeto. Ele é peixe grande quando nada quilômetros contra a maré, em busca de um beijo de ar apaixonado para continuar leve e vivo a cada tempestade. Meu amor é menino, é menina, é adulto e criança. Dorme para acordar, e acorda para viver. Tem uma alma pura e apaixonada, carente do amor que só os vira-latas sabem oferecer.

1 Comentários:

Às 06/08/2009 11:21, Blogger (( Ludmila Ponciano )) disse...

O amor é diferente pra cada pessoa, mesmo... sobrevivendo assim, no mistério. Ele próprio reconhece sua necessidade de liberdade e individualidade. E nunca chega à plenitude. Mesmo porque , tudo que é pleno... está no fim. Encontra-se acabado. Equinos também transbordam amor, viu? ( só pra constar :D )

 

Postar um comentário

<< Home